Três Sombras, de Cyril Pedrosa

TRES SOMBRAS-CAPA.inddAntes de ler este livro emprestei-o a um primo que achou o livro bonito e interessante. Disse, porém, para que não demorasse na leitura. As minhas palavras devem ter soado mandatórias ao jovem rapaz que devorou o livro em menos de 2 horas. Ele voltou com o livro em mãos e ao ser perguntado sobre a história respondeu: “O livro é legal, mas eu não entendi nada”.

As palavras dele ressoaram estranhas na minha cabeça, que me fizeram pegar a obra alguns dias depois. E assim que a última página foi virada eu percebi o porquê das dizeres do jovem rapaz. O livro de Cyril Pedrosa, publicado pela Quadrinhos na Cia., não foi feito para ser devorado, mas para ser apreciado a cada página. Isso acontece por que a essência não está nas falas dos personagens, mas nas ilustrações.

A história começa com o surgimento de três sombras. A imagem, aparentemente passageira, se repete através dos dias e desperta o medo no jovem Joachim e seus pais, Louis e Lise. A mãe vai procurar conselhos com uma velha e sábia senhora no vilarejo próximo de sua casa. O pai decide fugir com o filho e assim escapar das figuras que insistem em povoar a paisagem.

A fuga de Louis e Joachim cria alguns elementos tão marcantes que prendem a atenção do leitor de maneira única. Amizade, integridade, carinho são muito evidentes durante toda a trama. Porém o medo é o elemento mais presente, criado por toda uma atmosfera de suspense pelas três figuras que seguem pai e filho.

O traço certeiro de Pedrosa dá o tom. Os rabiscos, o jogo de sombras e a sequência de cenas é quase hipnótica. Muitas vezes não é preciso nenhuma palavra para expressar o medo, o silêncio torna-se o melhor ingrediente. E por vezes até é possível imaginar alguma trilha sonora de suspense em uma sequência de imagens, típica dos filmes do gênero.

Pedrosa brinca muito com os elementos de proximidade e afastamento para criar esse efeito no leitor. Ora com um vulto distante, que pouco a pouco é aproximado e se apresenta em três sombras quase nítidas. Outras vezes capta o detalhe de um olhar, abre para a face, cruza com outro rosto tenso, olhos se cruzam, desviam. Nada é dito, não é preciso.

As ilustrações contidas no livro Três Sombras são cheias de metáforas que precisam ser apreciadas e saboreadas no seu ritmo, só assim o livro cria seu devido efeito. Então quando for ler esta história, não tenha pressa. Aprecie cada traço com atenção, procure perceber o jogo de sombras e rabiscos, pois são nesses detalhes que se encontra a poesia de Cyril Pedrosa.

Três Sombras
Autor: Cyril Pedrosa
Tradução: Carol Bensimon
Editora: Quadrinhos na Cia.
Páginas: 272
Preço sugerido: R$ 39,50

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s